Saturday, 17 January 2015 00:00

Município institui PDM como instrumento de expansão económica

«Município institui PDM como instrumento de expansão económica»

O Município de Braga realizou ontem, 16 de Janeiro, a oitava sessão pública de esclarecimento do Plano Director Municipal de Braga (PDM). Subjacente ao tema «O PDM e as Actividades Económicas», a sessão, que decorreu no auditório da Associação Industrial do Minho, debruçou-se sobre quatro eixos fundamentais: «Braga, um município onde queremos VIVER», «Braga, um concelho que queremos VISITAR», «Braga, um território para INVESTIR» e finalmente, «Braga, Rumo à Centralidade IBÉRICA».

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, destacou que, do ponto de vista económico e da captação de investimento, as principais inovações que este novo Plano vem trazer estão directamente relacionadas com os planos de expansão das várias áreas industriais já existentes, assim como com a criação de novas áreas, como é o caso do novo parque industrial idealizado para a zona envolvente do autódromo e do aeródromo de Braga, destinados ao acolhimento de industrias do sector automóvel e aeronáutico.

Ricardo Rio referiu ainda a importância da expansão de zonas industriais como aquelas localizadas em Celeirós e Navarra; assim como a ampliação, especialmente destinada a unidades ligadas ao sector da electrónica, da zona industrial de Ferreiros, onde se encontram actualmente instaladas a Delphi e a Bosh.

Ainda no domínio da expansão de zonas industriais existentes, o Autarca de Braga referiu a importância da articulação entre os parques industriais de Adaúfe e Pitancinhos. Aqui a dotação da variante do Cávado é fundamental, disse Ricardo Rio, que garantiu que a autarquia tem vindo a trabalhar para que a via em apreço seja uma realidade o mais brevemente possível.

"Temos consciência de que não existem fundos públicos e comunitários para essa área mas, do ponto de vista do investimento público, é um investimento crucial para o desenvolvimento futuro da cidade e, por isso, vamos ter que canalizar recursos para essa área", disse.

O novo PDM de Braga tem ainda como intuito resolver situações pendentes de empresas que carecem de um enquadramento legal que por via do incumprimento das normas urbanísticas anteriores, não conseguiam regularizar a sua situação.

O novo Plano Director Municipal de Braga prevê ainda um regime de excepção para a viabilização de investimentos com significativa dimensão, explicou o presidente da Câmara. "Estão aqui contemplados investimentos particularmente inovadores, e que possam ter, ou 2M€ de investimento, ou que potenciem a criação de 200 postos de trabalho. Anteriormente não existia esta cláusula adicional, e acrescentamo-la de maneira a viabilizar um projecto com estes requisitos a sua instalação em áreas que não estejam, à partida, classificadas como zonas industriais, o que até agora não era possível", concluiu.

Ainda no domínio económico, o novo Plano Director Municipal de Braga contempla a criação do projecto "Innovation Arena", a situar-se na envolvente da Universidade do Minho, e dedicado ao sector das novas tecnologias.

A sessão pública de esclarecimento deu ainda a conhecer outras propostas da Câmara de Braga para o desenvolvimento territorial do Concelho, designadamente a Componente Ecológica, que prevê, entre outros desígnios, o alargamento dos espaços verdes do Concelho em 93%; a Mobilidade Sustentável, através da criação de 76km de vias cicláveis; e ainda a Programação Urbanística; o Turismo; e a afirmação de Braga como cidade chave na centralidade ibérica.